[ editar artigo]

Colaboração é um bom negócio

Colaboração é um bom negócio

Por muito tempo eu achei que essa coisa linda da colaboração, fosse coisa de quem já tinha dinheiro. Na minha mentalidade encaixotada, pobre não tem tempo pra colaborar: só tem tempo pra pagar as contas e sobreviver. Felizmente descobri que isto não é uma realidade.

Após passar um período viajando, conhecendo gente de vários cantos do Brasil, com várias culturas diferentes, percebi que a colaboração é algo que faz parte do cotidiano do brasileiro: No interior do Mato Grosso do Sul, quando alguém precisa construir uma casa, todo mundo (família, amigos, vizinhos) se juntam e fazem mutirões pra construir a casa de forma colaborativa; Nos Campos Gerais do Paraná, agricultores de juntaram em cooperativas para aumentar o alcance de seus produtos; Em Jaraguá do Sul, após as enchentes de 2014, com milhares de desabrigados, pessoas do Brasil inteiro, empresas e organizações se juntaram em um jogo (PlayTheCall) para ajudar as vítimas da catástrofe.

Mas e nos negócios? É possível ter um negócio que seja colaborativo e ao mesmo tempo lucrativo? Os especialistas do mercado, futuristas e grandes empreendedores acreditam que sim.

Estamos passando de um modelo econômico baseado na exploração de recursos escassos (que um dia se extinguirão) para modelos baseados na abundância de recursos, na colaboração, no compartilhar, na criatividade. É toda uma nova economia que se desenvolve a partir de tecnologias exponenciais como a Blockchain e Inteligência Artificial – que possibilitam uma série de novas relações humanas com as coisas e com o outro - e por tecnologias sociais como novas formas de organização como Holacracia e Sociocracia 3.0, que transformam a forma do trabalho, da hierarquia, das organizações como as conhecemos..

A Economia da Colaboração está presente desde sempre, e agora as tecnologias estão ainda mais aprimoradas para aumentar o grau de colaboração. Você pode não se lembrar de como era o mundo antes da Wikipedia – não era nada fácil pesquisar, eu garanto - que foi e é construída de forma colaborativa por milhões de pessoas ao redor do mundo de forma voluntária. Existem muitos casos nos quais iniciativas e empresas surgiram e funcionam de forma colaborativa.

Agora você pode “trocar” horas aprendendo a tocar violão com um desconhecido, e em troca você ensina uma receita sofisticada. Você pode fazer isto por meio de um site chamado Bliive, criado em 2013 em Curitiba, e que tem como foco, a colaboração entre os usuários do site, para gerar riqueza. A moeda: o tempo!

Pelo site TemAçúcar? você também pode perguntar ao seu vizinho se pode emprestar alguma ferramenta ou alguma coisa que precise com urgência. A colaboração está aí evidente: a boa e velha camaradagem com vizinhos!

Embora pareça uma coisa simples, colaborar exige de nós (que fomos doutrinados desde pequenos no nosso tão conhecido capitalismo selvagem), que a gente olhe no olho, deixe de pensar no próprio umbigo e troque de forma justa com o outro. Colaborar é mais humano, mais prazeroso e muito mais lucrativo para todos.

Você também pode pensar que não deve ser muito lucrativo pensar em modelos de negócio colaborativos, mas o que dizer do Airbnb, no qual o cliente ora é anfitrião cedendo sua casa, ora é hóspede? E o Slack, que compartilhou uma versão piloto de seu software com diversas empresas para, a partir do feedback do seu público-alvo, chegar ao produto final? E o Uber, que agora além de transporte de pessoas transporta comida e logo surge o UberHealth? Negócios exponenciais usam a colaboração como motor para o crescimento e aperfeiçoamento de seus produtos.

Eu sou um futurista, alguém que pesquisa, analisa dados, traduz e explora tecnologias, ciências e empreendedorismo, para entender quais serão os futuros possíveis, os futuros prováveis, e futuros desejáveis, para atuar em cima destes últimos: os desejáveis. Quase todos os futuristas já previram com base em projeções de tendências, que a colaboração é uma das chaves para um bom futuro da humanidade.

Que tal fazer parte da construção deste futuro?

Vale do Pinhão
Dan Queirolo
Dan Queirolo Seguir

Sou Designer, Futurista, Especialista em Coworkings, Community Manager do Faciap InovaLab, mas também canto na Banda Scoopers, e sou ilustrador. Apaixonado por arte, empreendedorismo social, viajens e queijo, tô sempre aberto à novas oportunidades :)

Ler matéria completa
Indicados para você